Planos

Pegar algo,
Fazer algo.
Pegar um cão e passear.
Pegar um carro e rodar.
Pegar um martelo
Inserir prego em madeira.

Pegar uma pedra e atirar.
Pegar ventos
Aspirar frios.
Aspirar e tremer.
Tremer e parar.

Pensar no próximo passo.
Passo a passo
Estacionário impasse
Quem tiver vontade de aço
Que minha vontade trespasse
E arranque desta cadeira
Esta cabisbaixa caveira

Mostre o caminho do sol
Não consigo sorrir
Vou pegar o espelho
Atirar ao pavimentado passeio

-Meus cacos sérios
Serão pisoteados
E ficarei quieto
Meu peso na alma

O grito trancado por trás do gradil
Agarro uma grade – o vão é estreito
O horizonte que vejo
A avenida e o vento
Caniloquazes chamados
Serei eu, serão eles?

Pedro Luiz Da Cas Viegas
Porto Alegre . 7, outubro, 2001.

Anúncios

Um comentário

  1. reinodalira
    Enviado 13 de janeiro de 2013 em 1:16 pm | Link Permanente | Responder

    Esplêndido!…Esse é daqueles pra se recitar em voz alta! Com uma certa intensidade acompanhando o lirismo! É a força da poesia! Parabéns! Muito bom mesmo!

Escreva sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: